Dez programas imperdíveis para o fim de semana

VEJA RIO selecionou atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para o filme Mulher-Maravilha

(Divulgação/Divulgação)

O Alfaiate de Palavras

Na peça da Trupe do Experimento, Hildebrando leva uma vida solitária e tem por única companhia o rádio Astolfo, que funciona como um conselheiro do velho alfaiate. Rec. a partir de 3 anos. Centro Cultural da Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550. R$ 40,00. Sábado e domingo, às 16h. Até 30 de julho. A partir deste domingo (4)

 Amor.com

Na onda de levar às telas os “influenciadores digitais”, em longas-metragens como Internet — O Filme e É Fada, Amor.com se sai melhor ao apresentar a blogueira ficcional Katrina, interpretada por uma atriz da competência de Isis Valverde. Fashionista, ela tem milhares de seguidores e entra em pânico quando um nude vaza na rede. Katrina recorre, então, ao nerd Fernando (Gil Coelho), um vlogueiro de games sem sucesso na vida afetiva. Os opostos se atraem e nasce uma inusitada paixão. O roteiro bebe na cartilha da comédia romântica americana e não faz feio. Há química entre o casal, situações de humor espirituoso e uma lição de moral para alertar a galera teen que só pensa em likes. Direção: Anita Barbosa (Brasil, 2017, 92min). 12 anos.

(Leandro Gonzales/Divulgação)

Beatles Abbey Road

Um dos álbuns mais emblemáticos dos Beatles, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band completou em maio cinco décadas de lançamento. Faixas como Lucy in the Sky with Diamonds estão no repertório do grupo paulista Beatles Abbey Road, que recria figurinos e outras fases do quarteto de Liverpool. Teatro Bradesco (VillageMall). Avenida das Américas, 3900, Barra. Domingo (11), 20h. R$ 80,00 (frisa) a R$ 180,00 (camarote).

(Eric Sarasota/Divulgação)

Boyce Avenue

Criado em 2004 por três irmãos da Flórida, Estados Unidos, o Boyce Avenue arrebatou a internet ao postar vídeos de versões acústicas para hits do pop. Com covers cativantes de canções como Rolling in the Deep (Adele), We Found Love (Rihanna) e Viva la Vida (Coldplay), Alejandro, Fabian e Daniel Manzano se tornaram a quarta banda mais popular do YouTube em todo o mundo, com mais de 9 milhões de inscritos em seu canal. Ao vivo, o trio mescla a recriação de sucessos alheios com composições próprias de seus três discos de estúdio All You’re Meant to Be (2008), All We Have Left (2010) e Road Less Traveled (2016). É bom correr: restam poucos ingressos para a pista, e os demais setores estão esgotados. Vivo Rio. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo. Sábado (10), 21h30. R$ 220,00 (pista, 2º lote).

(Elisa Mendes/Divulgação)

Gisberta

Depois de lotar todas as sessões no CCBB, Luis Lobianco retorna com o emocionante monólogo, dirigido por Renato Carrera, sobre um personagem real: Gisberta, travesti brasileira assassinada em Portugal (90min). 14 anos. Teatro Dulcina, Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro. Sexta a domingo, 19h30. R$ 30,00 a R$ 40,00. Até 2 de julho. Reestreia na sexta (9).

turfe-jockey-club-gavea.jpeg

GP Brasil de Turfe

Tradição elegante, o GP Brasil de Turfe movimenta o Jockey Club Brasileiro de sexta (9) a domingo (11). As atenções vão se dividir entre os páreos dos cavalos na cancha e mais de cinquenta trucks de comes e bebes. Para a criançada, no domingo (11), o projeto Burburinho trará oficinas, música e circo. Curiosidade: no último dia, reservado ao GP Brasil, os espectadores da principal prova nas tribunas vão, pela primeira vez, poder usar traje esporte — antes, o passeio completo era obrigatório. Jockey Club Brasileiro. Praça Santos Dumont, 31, Gávea. Sexta (9), 17h às 23h; sábado (10) e domingo (11), 13h às 23h. Grátis.

(Dalton Valerio/Divulgação)

Ivanov

Na peça em cartaz no Teatro Ipanema, o fascínio causado hoje por um escrito do fim do século XIX é mérito dos elementos modernos que permeiam o primeiro texto completo de Anton Tchekhov (1860-1904). Ary Coslov, responsável pela fiel adaptação da história de um homem que sofre de insatisfação crônica, opta por direção calcada no realismo, pontuada por toques de exagero dramático que combinam com o caráter clássico da obra. Em ótima forma no papel-título, Isio Guelman contracena com Sheron Menezzes, na pele de sua esposa tuberculosa. Também em cena, Mario Borges interpreta Micha, um agregado constantemente bêbado que enerva o protagonista — e, de quebra, o público, graças à sua boa interpretação (90min). 12 anos. Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais, 824, Ipanema. Sábado e segunda, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Até o dia 18.

J.Carlos: Originais

Quase 300 originais de José Carlos de Brito e Cunha, o grande desenhista J. Carlos (1884-1950), guiam o passeio pela história da primeira metade do século XX. IMS. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea. Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 22 de outubro.

(Reprodução/Reprodução)

Mulher-Maravilha

Depois de dois longas-metragens frustrantes (Batman vs Superman e Esquadrão Suicida), a DC Comics deve voltar a fazer as pazes com os fãs de HQs com Mulher-Maravilha. Atributos não faltam: do roteiro bem costurado a efeitos visuais elegantes, o filme tem ação, drama e romance para agradar a públicos distintos. E, claro, há Gal Gadot (foto), a atriz israelense que já havia roubado a cena em Batman vs Superman e, aqui, feminina e feminista, é capaz de fazer a plateia vibrar. O início causa estranheza com seus cenários digitais e figurinos kitsch. Numa ilha isolada, vive Diana (Gal Gadot), uma jovem criada entre amazonas. Como os deuses saíram de lá, as mulheres dominaram o território. Mas eis que surge o espião americano Steve Trevor (Chris Pine) e, com ele, um batalhão de soldados alemães. Não há outra solução: para restabelecer a paz, Diana precisa encontrar Ares, o deus da guerra na mitologia grega, e eliminá-lo. Durante os conflitos na I Guerra, a heroína vai usar seus poderes, mas sempre com juízo, bom-senso e pregando o amor. O discurso combina com os tempos atuais, certo? Direção: Patty Jenkins (Wonder Woman, EUA, 2017, 141min). 12 anos.

 

Shell Open Air

Maior do que uma quadra de tênis, o telão de 325 metros quadrados é a atração principal, mas não a única. De volta à Marina da Glória, a farra agora batizada como Shell Open Air reúne sessões de cinema ao ar livre, música e animação infantil. A programação vai de quarta (7) até o dia 25. Pela tela gigante passarão vinte filmes — estão na lista La La Land, sexta (9), às 21h, o clássico O Iluminado (com Jack Nicholson, na foto), sábado (10), às 23h, e A Bela e a Fera, domingo (11), às 18h. Ao vivo, exibem seus repertórios o projeto The Silvas, do produtor Liminha, com o convidado Paulo Miklos (no dia de abertura, às 23h), e o rapper Emicida, na sexta (9), à 0h30. Marina da Glória. Avenida Infante Dom Henrique, s/nº, Aterro. R$ 50,00 (ingressos à venda no local, de quarta a domingo, das 14h à 0h, e no site rj.openairbrasil.com.br).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s