Crítica: peça estrelada por Erika Mader perde potência

Espetáculo acerta na estética, mas peca no desenvolvimento

 Fauna. A potência do texto de Romina Paula, destaque da cena contemporânea argentina, dilui-se no espetáculo, dirigido por Marcelo Grabowsky e Erika Mader. Erika, também em cena, com desempenho modesto, dá vida à atriz que acompanha um cineasta (Eduardo Moscovis) na pesquisa sobre uma amazona selvagem chamada Fauna. O objetivo de misturar ficção e realidade não é bem-sucedido e deixa a trama em aberto, sem levantar maiores discussões acerca dos assuntos abordados. Dois talentos no palco, Kelzy Ecard e Erom Cordeiro (na foto, com Erika) são os perturbados filhos de Fauna. Visualmente, a sessão agrada: a luz de Renato Machado complementa o cenário de Fernando Mello da Costa, composto de feno e poucos objetos (80min). 14 anos. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro. Quarta a domingo, 19h. R$ 40,00. Até 16 de julho.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s