Crítica: Edwin Luisi emociona na pele do fotógrafo Alair Gomes

Grande acerto do diretor Cesar Augusto cria cenas belíssimas no palco

 Alair. Personagem-título da encenação, Alair Gomes (1921-1992) ganhou fama como pioneiro da fotografia homoerótica no Brasil. Sua arte e sua surpreendente, mas conhecida biografia são levadas ao palco pelo delicado texto de Gustavo Pinheiro (A Tropa). Em uma viagem dos anos 50 aos 90, a peça faz referência a fotos, sempre em preto e branco, devotadas à beleza do corpo masculino, por meio do refinado jogo de luz e sombra de Tomás Ribas. Edwin Luisi dá vida ao artista, com interpretação segura e carregada de emoção. Em cena, ele é acompanhado por Andre Rosa (na foto, com Luisi) e Raphael Sander, nos papéis de dois jovens com quem Alair se relacionou. Mesmo menos expressiva do que o protagonista, a dupla protagoniza uma das mais belas cenas do espetáculo: a recriação de belas imagens de Alair durante um impecável balé, embalado pela canção Mora na Filosofia (Monsueto e Arnaldo Passos), na voz de Caetano Veloso. Ponto para o diretor Cesar Augusto (70min). 14 anos. Casa de Cultura Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema. Quarta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00. Até 2 de julho.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s