Conheça três clássicos de João Bosco, que faz show na Barra

Curiosidades do repertório do músico, que repassa mais de quatro décadas de carreira no Teatro Bradesco

O Mestre-Sala dos Mares — Gravada em 1975 no LP Caça à Raposa, a canção composta com Aldir Blanc enaltece a história
do marinheiro João Cândido, o “Almirante Negro”, líder da Revolta da Chibata, em 1910. Sofreu várias alterações da censura à época.

O Bêbado e a Equilibrista — É uma das principais parcerias com Aldir Blanc. Hino da anistia aos exilados na ditadura militar, surgiu como homenagem a Charles Chaplin, morto em 1977. Foi cantada pela primeira vez por Elis Regina, que a imortalizou.

Papel Machê — O poeta baiano Capinan, que criou a letra, em 1983, inspirou-se nos bonecos feitos com massa de papel por Angela, mulher do compositor e violonista mineiro, durante uma visita feita ao casal.

Teatro Bradesco (VillageMall). Quinta (25), 21h. R$ 100,00 (frisa) a R$ 180,00 (camarote e plateia baixa).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s