Vibração e lágrimas

Numa festa emocionante, VEJA RIO premia os melhores da gastronomia

comer-e-beber-02.jpg

comer-e-beber-02.jpg

A emoção dos ganhadores marcou a cerimônia de lançamento da edição especial de VEJA RIO “Comer & Beber”, realizada no dia 4, no Armazém 2 do Cais do Porto. Dezessete dos 42 vencedores estreavam no prestigiado grupo de estabelecimentos ou profissionais que receberam o Oscar da gastronomia carioca. Entre eles estava a proprietária da Beth Chocolates, Elizabeth Garber, que chorou quando foi feito o anúncio de que sua loja havia superado concorrentes de peso, como Cacau Noir, Kopenhagen e Envidia. “Esperei minha vida toda por isso. Sabia que meu dia chegaria”, disse a empresária, visivelmente comovida. Ao descer do palco onde lhe foi entregue a placa comemorativa, ela recebeu um abraço caloroso de Fabiana D?Angelo, laureada momentos antes pelos seus brigadeiros. Na hora de festejar o título de melhor cozinha de bar, Luiza de Souza, uma das sócias do botequim Da Gema, também não conteve a euforia. Sambou e arrancou uma salva de palmas dos cerca de 1?000 convidados presentes. “Não poderia haver melhor reconhecimento por esses meus treze anos de trabalho”, afirmou, com os olhos marejados.

comer-e-beber-03.jpg

comer-e-beber-03.jpg

comer-e-beber-04.jpg

comer-e-beber-04.jpg

Com muita descontração, e esbanjando comentários sobre as preferências gastronômicas do marido ? o jogador de futebol Roger Flores, sentado com a turma do gargarejo ?, a atriz Deborah Secco conduziu com desenvoltura a solenidade. Ela chamou ao palco personalidades como a atriz Marina Ruy Barbosa, a escritora Thalita Rebouças e o carnavalesco Paulo Barros, entre outros famosos, para fazer o anúncio dos ganhadores. Eleitos por um júri independente formado por críticos, especialistas e amantes da boa mesa, os vencedores tiveram seu nome mantido em sigilo, o que aumentou ainda mais a expectativa dos concorrentes. Dois ganhadores, em especial, celebraram em dose dupla. O Talho Capixaba faturou os títulos de melhor pão e também café da manhã, enquanto o Oro, de Felipe Bronze, repetiu o feito de 2011 e foi eleito nas categorias cozinha contemporânea e chef do ano. “Estou muito mais emocionado desta vez. Manter um prêmio é muito mais difícil do que conquistá-lo”, comentou. Assim como os outros candidatos ao título, Bronze contou com a torcida da equipe do restaurante, transmitida pelo telão em tempo real diretamente das cozinhas indicadas. A seleção com os melhores representantes da boa mesa carioca já está feita, em uma edição recorde na história de VEJA RIO, com 1?022 endereços e 450 páginas. É hora de festejar. À mesa, é claro.

comer-e-beber-05.jpg

comer-e-beber-05.jpg

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s