Uma volta… pelos sebos e livrarias do Centro com o escritor Ruy Castro

Desde a juventude, o escritor Ruy Castro cultiva o hábito de vasculhar as prateleiras da região central da cidade. Conheça os pontos favoritos dele por lá

Aluno da Faculdade Nacional de Filosofia, que funcionava na Avenida Presidente Antônio Carlos, no Centro, Ruy Castro raramente podia ser visto em sala. Aos 20 e poucos anos, seu destino eram as livrarias e os sebos das ruas vizinhas, onde ficava enfurnado durante todo o horário das aulas. “Comprei coisas maravilhosas ali que tenho até hoje, entre as quais uma coleção completa dos livros de Charlie Chan, da editora Vecchi, com aquelas capas incríveis”, recorda o escritor, biógrafo de Nelson Rodrigues, Carmen Miranda e Garrincha. Quarenta anos depois, vasculhar as prateleiras da região continua sendo um de seus programas favoritos na cidade. “Gosto de passear por lá para ver o que há de novo nas barraquinhas e lojas, e depois ainda paro para comer uma omelete no Paladino, casa centenária que fica ali perto”, dá a dica o autor, que participará neste domingo (1º) de um bate-papo em comemoração aos trinta anos da Bienal do Livro, no Riocentro.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s