Os inexplicáveis encantos de uma simples bolsa

Vá entender as mulheres. Na década de 90, uma bolsa simples, com tiragem inicial de cinquenta exemplares, que a princípio seriam distribuídos apenas às clientes de alta fidelidade da marca, caiu nas graças das cariocas e virou um case do mercado da moda, com mais de 30 000 unidades vendidas. “Eu mesma nunca entendi o sucesso de um retângulo de plástico com um zíper”, revela, com bom humor, a estilista Fernanda Chies, criadora da peça em questão. Após ser fartamente clonado por outras marcas e camelôs até desaparecer de vez da praça, o acessório vai ser reeditado pela grife. Parece mentira, mas ela jura que não quer repetir o êxito comercial daquela época, sob o risco de voltar a ter uma enorme dor de cabeça. “Foi um período de loucura para mim”, lembra. “Chegavam a ligar para a secretária do escritório vizinho implorando para ela entrar na fila.”

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s