Obras olímpicas na Lagoa são suspensas pela justiça

Liminar exige consentimento do Iphan para a execução do projeto de arquibancadas flutuantes previsto para abrigar 10 000 torcedores nos Jogos

As obras olímpicas no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, foram suspensas na última quinta (16) pela Justiça Federal. A ordem judicial resulta de uma investigação iniciada em novembro de 2014, que tinha o objetivo de verificar se grandes obras já em vigor sem o consentimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) se enquadravam nos limites de preservação ambiental estabelecidos pelo órgão público.

+ Revitalização movimenta a praia do Arpoador

Não seria o caso da Lagoa, cujo projeto de instalação de arquibancadas flutuantes para 10 000 pessoas sob o espelho d’água interferiria na preservação do conjunto paisagístico do cartão-postal, segundo a Procuradoria Geral da República. A nova liminar exige que qualquer licença ambiental concedida pela prefeitura ou estado deva ter a autorização prévia do órgão de patrimônio público. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s