Leite de Rosas planeja agora reconquistar os jovens

Entre 1942 e 2009, fábrica deu um cheirinho especial à Rua Ana Néri, em São Cristóvão

UM PERFUME QUE VEM DO PASSADO

Tudo nasceu no bairro das Laranjeiras, em 1929, na casa do próprio fundador da empresa, o seringueiro Francisco Olympio de Oliveira, que veio do Amazonas para o Rio no fim do século XIX. A sede administrativa funcionava ali e, na verdade, a fábrica também, na garagem. Como se tratava de uma rua residencial, ele tomava cuidado extremo com o barulho, para não incomodar a vizinhança. Tanto era assim que esperava o bonde passar para, exatamente naquela hora, martelar as caixas de madeira em que despachava os produtos. Com o crescimento das vendas, a Leite de Rosas transferiu-se para o Jardim Botânico (na Rua J.J. Seabra) e, finalmente, em 1942, para São Cristóvão, onde mantém a sede até hoje, num prédio da Rua Ana Néri (em 2009, o parque industrial foi transferido para o Estado de Alagoas). Desde 1961, é a família de Henrique Ribas, genro de Francisco, que está à frente do negócio. Tendo como carro-chefe o desodorante líquido, uma solução à base de álcool, cânfora e extrato de pétalas de rosas brancas, que leva o nome da empresa, a marca passa por um momento de reformulação, querendo se aproximar do público jovem. Para isso, convocou o fotógrafo americano Andrew Gallo e sua esposa, Carissa, ela também profissional das lentes (responsáveis por peças de marketing de gigantes como Nike e Intel), para bolar a nova campanha, baseada em pessoas reais, no estilo gente como a gente. Ficam, portanto, cada vez mais num passado distante aqueles reclames em preto e branco estrelados por modelos invariavelmente loiras ou por artistas — Carmen Miranda entre eles —, com dizeres como “Estou feliz, durante todas as horas do dia me sentirei como se tivesse acabado de tomar meu banho”.

divulgacao

divulgacao

Leite de Rosas

Leite de Rosas

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s