Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Quindim de “Jesus”

No centro desta “santa ceia da bossa nova” destaca-se a figura de Vinicius de Moraes fumando e bebendo, comandando a confraria. O painel de 6 metros, assinado por Carlinhos Muller, fica na Churrascaria Palace, em Copacabana. E os comensais geralmente escorregam na memória quando chutam quem é o sujeito de perfil ao lado do poeta. Trata-se do pianista Newton Mendonça, coautor do Samba de Uma Nota Só. Mas que se olhe menos para o quadro e mais para o cardápio: em homenagem a Vinicius, que faria 100 anos em outubro, puseram no menu sua venerada receita de quindim. Deu certo: têm saído 200 a cada fim de semana.

Agonia e solidão

Mariana Vianna

Mariana Vianna

A escadaria, reconhece-se, é da Igreja da Penha. E ao fundo se vê o casario do bairro homônimo. Mas quem seria o senhor grisalho que vem lá, de cabelos ao vento e capote preto misterioso, um tanto inadequado à nossa suave primavera? Oswaldo Montenegro, compositor que lançou nos cinemas, na semana passada, sua segunda aventura na sétima arte: o longa Solidões, em que circula, vestido assim, por outros bairros do Rio, como Barra, Lapa e Centro. O filme está em cartaz no Espaço Itaú, em Botafogo.

historias-cariocas-03.jpg

historias-cariocas-03.jpg

Quinta (14) é o Dia Mundial do Diabetes, e essa triste porcentagem diz respeito à doença: 60% dos pacientes que chegam aos hospitais do Rio com os pés afetados sofrem amputação. O Ministério Público e a Sociedade Brasileira de Angiologia querem reduzir o índice pela metade e, em reuniões que andam quentes na prefeitura, clamam por procedimentos menos radicais na rede hospitalar pública.

Mais livre para fotografar

Divulgação

Divulgação

Bucareste é aqui

historias-cariocas-05.jpg

historias-cariocas-05.jpg

Remete ao Paraná, mas é o mapa da Romênia, no Leste Europeu. A cultura, pouco divulgada entre nós, do país do Conde Drácula, onde o carioca Paulo Coelho lidera o ranking dos autores estrangeiros mais lidos, será o mote de um curso na Casa do Saber, na Lagoa, nesta quarta (13). O dentista Mário Kruczan, hoje morador de Ipanema, com ascendência romena, é quem coordena as aulas. Para ele, Bucareste (a capital) e Rio são cidades afins, por causa do calor humano e da latinidade. O foco das palestras será a obra de um dos maiores filósofos daquele país, Emil Cioran.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s