Espaço sensorial do Jardim Botânico é reaberto com mais acessibilidade

Área ficou fechada durante um ano para obras de revitalização e adaptação para receber pessoas com deficiência física e visual

Um espaço com plantas para serem tocadas, cheiradas e provadas, totalmente acessível e adaptado com rampas, piso táctil e informações em braile. O Jardim Sensorial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi ao público, após ficar cerca de um ano fechado. Período no qual foi revitalizado e adaptado para receber pessoas com deficiência física e visual.

O espaço, criado em 1989, traz plantas com diferentes aromas e texturas que convidam o visitante a aguçar os sentidos além da visão. Entre as espécies estão suculentas, orquídeas, manjericão, alecrim e menta.

+ As melhores atrações do projeto Carioquinha

+ Visitantes podem assistir ao restauro de obras no Jardim Botânico

O engenheiro agrônomo Ulisses Carvalho de Souza, do Centro de Responsabilidade Socioambiental do Jardim Botânico, explica que além da revitalização e adaptação do espaço, a parceria com o Instituto Masan também possibilitou a ampliação do projeto com a contratação de oito monitores, dos quais três são cegos e um tem baixa visão, selecionados pelo Instituto Benjamin Constant, centro de referência nacional em questões de deficiência visual.

De acordo com ele, o Jardim Sensorial é muito procurado pelo público em geral, e também por pesquisadores. “Então, essa agregação de valor para o Jardim Botânico – que não é um parque de visitação, e sim um instituto de pesquisa – é maravilhosa”. Ulisses disse que assim como temos as coleções botânicas, científicas, de orquídeas, bromélias, aráceas, “temos [no Jardim Sensorial] não uma coleção científica, mas uma porção mínima de algumas espécies que as pessoas não conseguiriam tocar nos canteiros, ver detalhes”.

Jardim Sensorial Jardim Botânico

Jardim Sensorial Jardim Botânico

Um dos monitores selecionados pelo instituto é Luciano Souto Batista, 25 anos, que tem no jardim sua primeira experiência profissional. Para ele, a atividade promovida no Jardim Sensorial ajuda a sensibilizar o público para as questões da deficiência visual.

“Aqui, a gente coloca venda nos visitantes, e cada um tem reação diferente. Tem uns que desistem no meio da atividade, se sentem tontos, se sentem mal; outros gostam, acham interessante”, segundo Luciano.

O Jardim Sensorial funciona no Complexo do Cactário do Jardim Botânico.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s