Vinho nas alturas

03 abril 2013 | deixe seu comentário (0)

Por Marcelo Copello

 

Recentemente trabalhos científicos comprovaram que a cabine de avião influi em nossos sentidos. No ar mais seco e pressão da cabine os vinhos parecem menos aromáticos e mais ásperos. Pensando nisso algumas companhias aéreas como British e Delta mudaram suas cartas e colocando vinhos que teoricamente se adaptam melhor a estas condições.

A portuguesa TAP foi além e inovou ao fazer seleção de vinhos lá em cima, a bordo de um avião. Eu tive a honra de ser um dos 9 jurados desta inusitada prova. Nós primeiro provamos 90 vinhos em terra, às cegas, ou seja, sem saber que vinhos nós eram, e  selecionamos os 14 melhores.

Em uma 2ª etapa nós pegamos um avião de Lisboa para a Ilha Terceira nos Açores e provamos à bordo este 14 vinhos, para ver como cada um se comportava a 10 mil metros de altitude. De fato alguns vinhos ficaram prejudicados, mas outros ao contrário melhoram! Quem tiver curiosidade de ver como foi esta degustação veja o vídeo abaixo

 

Marcelo Copello (mcopello@simplesmentevinho.com.br)

 

Tags: | | Publicado em: Carta de vinho

A adega mais famosa do mundo

11 novembro 2011 | 3 comentários

Por Marcelo Copello

O que têm em comum Pelé, Ronaldo Fenômeno, Theodore Roosevelt, Hirohito, Elizabeth II, Winston Churchill, John Kennedy, Mikhail Gorbachev, Charles Chaplin, Grace Kelly, Henrique IV de França, Cardeal de Richelieu, Hermann Göring, Jean Cocteau e o ratinho Ratatouille?

Estes são apenas alguns dos personagens, reais ou de ficção, que marcaram presença no La Tour d’Argent (A Torre de Prata) restaurante fundado em Paris em 1582.

Este restaurante, que ocupa um prédio no endereço 15 Quai Tournelle, com uma bela vista do rio Sena e da catedral Notre Dame, guarda a adega mais famosa do mundo, com mais de 400 mil garrafas, muitas delas raríssimas.

Estive no Tour d´Argent, e visitei a famosa cave em companhia do sommelier chefe da casa, David Ridgway, que lá começou em 1981.

Vejam os videos que fiz no escuro da adega com David e desde já perdoem a, compreensível, escuridão.

 

PARTE-1:

 

Neste primeiro vídeo David diz que enquanto muitos falam que a China é o novo Eldorado, ele tem certeza que o Brasil tem mais bebedores de vinho. Para minha surpresa ele também nos conta que ao contrário de Pelé, o craque Ronaldo Fenômeno tem muita afinidade com vinho.

 

PARTE-2:

 

Nesta 2ª parte David me mostra algumas das 26 salas (uma para cada letra do alfabeto) da adega, com um total de 1.400 metros quadrados.

 

PARTE-3:

 

Chegamos ao museu das garrafas mais velhas, datadas a partir de 1788 (de antes da Revolução Francesa!). David me contou que já provou vários vinhos brasileiros, e acha que estão melhorando muito.

 

CURIOSIDADES:

- Apesar de ocupar por completo os andares do prédio, com adega, estoque, museu, escritório, cozinha etc, o salão ocupa apenas um andar e tem mesas para apenas 100 felizardos.

- Mesmo com espaço restrito são vendidas cerca de 12 mil garrafas vinho ao ano, uma média bem alta, de mais de meia garrafa por cliente.

- Fazendo as contas, a adega de 400 mil garrafas é um estoque para 20 anos.

- Há sempre um Porto Vintage decantado, para caso algum cliente peça. No momento estão usando os da safra 1975. Bem razoável…

- Quanto aos Champagnes eles hoje costumam servir os excepcionais e já maduros 1996, uma safra histórica. Muitos clientes, no entanto, preferem champagnes mais novos

- A logística do pedido do vinho sensacional. O pedido vem do restaurante em um papelzinho que desce até à cave no andar debaixo por um tubo. No exato momento em que chega o papelzinho um funcionário parte em disparada através das 26 salas da adega até localizar a garrafa. O tempo médio para o cliente receber o vinho em sua mesa é de apenas 4 minutos.

- Até poucos anos atrás a adega tinha 500 mil garrafas, mas os donos resolveram diminuir em função dos “tempos modernos”. Em 2009 quando tinham ainda tinham 450 mil garrafas fizeram um leilão de algumas poucas garrafas e arrecadaram cerca de 1 milhão de euros.

- O vinho mais barato da carta custa 50 euros e é um branco do Loire.

- A garrafa mais cara do acervo está avaliada em 30 mil euros e é um Cognac de 1788

- Uma garrafa do famoso tinto de Bordeaux, o Petrus 1982, sai por 12 mil euros, enquanto o ícone da Borgonha, o Romanée-Conti 1990, está mais salgado, 20 mil euros.

 

Vista do das mesas do restaurante para o rio Sena e a catedral Notre Dame

 

Uma foto de Ronaldo Fenômeno enfeita uma das paredes do restaurante

 

O rei do futebol também deixou seu autógrafo lá.

 

David Ridgway e eu à entrada do museu de garrafas raras.

 

Château Haut Batailley 1985, de 3 litros

 

Detalhes de uma das 26 salas da adega.

 

Garrafas do século XIX

 

Detalhe da carta de vinhos: preços do Romanée-Conti, de  7.355 a 20.365 euros

 

David Ridgway em ação

 

Museu do La Tour d´Argent. O  rei Henrique IV teria visto pela primeira vez um garfo aqui.

 

 

.

Marcelo Copello (mcopello@bacomultimidia.com.br)

.

Tags: | | | | Publicado em: Carta de vinho | França

Emoção de campeão

07 outubro 2011 | 2 comentários

Por Marcelo Copello

 

Muita emoção na bela festa de ontem a noite  no Pier Mauá. A entrega dos prêmios de Veja Rio Comer & Beber 2011/2012 reconheceu os profissionais que fazem a alegria de nossos paladares. São inúmeras as categorias, divididas em três grupos, “comidinhas”, “bares”, “vinhos” e “restaurantes”.

A relação completa de vencedores já está nas bancas, na edição especial “Veja Rio Comer & Beber 2011/2012”.

Tenho a honra de votar neste júri desde 2004, 9ª edição do evento, que agora debutou em sua 15ª edição. Este ano votei nas categorias de “vinhos”, que foram:

- Melhor Carta de Vinhos – vencida pelo restaurante Terzetto (em Ipanema)

- Melhor Loja de Vinhos – vencida pela Bergut (no centro e Niterói) 

- Melhor Sommelier – vencida por Dionísio Chaves (do restaurante DUO, na Barra) 

Vejam os depoimentos emocionados que colhi no momento certo, logo depois que cada um recebeu seu prêmio, com a festa ainda acontecendo. Desculpem o som, mas festa é festa…  

.

Dionísio Chaves – Melhor Sommerlier 2011/2012


.

Terzetto (Sommelier Alexandre Loureiro) – Melhor Carta de Vinhos 2011/2012


.

Bergut (José Grimberg) – Melhor Loja de Vinhos 2011/2012

Caso o barulho atrapalhe em entender o que foi dito, Grimberg diz que se sente extremamente feliz e cita seu amigo Clovis Taittinger, produtor de Champagne, que diz que “vinho se harmoniza com amigos“.


.

Marcelo Copello (mcopello@bacomultimidia.com.br)

.

Tags: Publicado em: Carta de vinho | Concursos | Eventos

Carta de Vinhos: Salitre

23 setembro 2011 | deixe seu comentário (0)

Por Marcelo Copello

Não é de hoje que considero o Salitre, em Ipanema (Rua Barão da Torre 632), uma das boas referências em vinho na restauração carioca. O serviço dos sommeliers Rodrigo Moura e Paulo Prado é nota 10, as taças são boas, a adega climatizada merece uma visita e o principal: a carta de vinhos é farta e acessível.

A lista de vinhos é longa e com muita coisa boa. Para você não se perder na escolha, passei minha a lupa neste papiro e aí vão minhas 16 dicas até R$ 148. Organizei por tipo e ordem de preço:

APERITIVO e ENTRADA

Jerez Classic Dry Manzanilla Fernando & Castilla – R$ 15 a taça ou R$ 50 a garrafa

ESPUMANTES

Valduga 130 Anos Brut (Brasil) – R$ 73

Adolfo Lona Rose (Brasil) – R$ 60

BRANCOS

Sexy Branco 2009 (Portugal-Alentejo) – R$ 70

Albarino Bouza 2009 (Uruguai ) – R$ 98

Petite Arvine du Valais 2008, Provins (Suíça- Valais) – R$ 106

Riesling Mineralschiefer Trocken 2008, Grans Fassian (Alemanha-Mosel) – R$ 127

Gala 3 2006 9 (Argentina) – R$ 148

TINTOS

Pizzato Reserva Merlot 2005 R$ 26 MEIA-GARRAFA

Quinta do Monte Travesso 2005 (Portugal-Douro) – R$ 66

Sexy tinto 2008 (Portugal-Alentejo) – R$ 70

Vila Santa Trincadeira 2007 (Portugal-Alentejo) – R$ 94

Ribera del Duero Prado Rey Crianza 2002/03, R$ 123

Toscana Non Confunditur 2007 Argiano R$ 125

Grécia Agiorgitiko Gaia 2006, R$ 130

Toscana Il Nero di Casanova 2006, La Spinetta, R$ 133

SOBREMESA

Premium Pedro Ximenes do & Castilla (Espanha) – R$ 18 a taça ou R$ 68 a garrafa

Madeira Justino 10 Anos Boal – R$ 99 a garrafa

.

Marcelo Copello (mcopello@bacomultimidia.com.br)

.

Tags: Publicado em: Carta de vinho

Wine is in the air

02 setembro 2011 | deixe seu comentário (0)

Por Marcelo Copello

A Global Traveler Magazine (GTM) é publicação mais líder mundial voltada para quem viaja de avião em classe executiva. Com dez edições que circulam no Reino Unido, EUA, Ásia-Pacífico, Oriente Médio, China, Alemanha, Dinamarca, Hungria, África e Polônia, a tiragem total desta revista ultrapassa os 100 mil exemplares.

 

Todos os anos a GTM promove um concurso de degustação com o objetivo de premiar as melhores cartas de vinho de classe executiva e primeira classe. O Global Traveler Wine on the Wings 2011 Award aconteceu em agosto em Nova Iorque (no restaurante Accademia di Vino), quando um juri formado por 31 profissionais avaliou as cegas 136 vinhos de 28 companhias aéreas (veja a lista das empresas concorrentes abaixo).

No segmento de classe executiva a empresa que recebeu maior nota média em seus vinhos foi a OpenSkies, enquanto na primeira classe a campeã foi a Asiana Airlines. Outra empresa que merece parabéns é a TAP. A companhia portuguesa esteve entre os “Top Five” nas três categorias de Busines Class, espumantes (3ª lugar com o espumante Luis Pato), brancos (4º lugar com o Paulo Laureano Reserva branco) e nos tintos a TAP foi a grande vencedora com o 1º lugar do Casa de Santar reserva 2007.

Veja abaixo a lista de dos 5 melhores vinhos em cada categoria em classe executiva:

“TOP FIVE” ESPUMANTES em BUSINESS CLASS

1 – Philip Jonker Entheos Brut, NV, South Africa — South African Airways

2 – TIE Alta Langa Brut 2005, Italy — Alitalia

Gloria Ferrer Sonoma Brut, NV, California — US Airways

3 – Espumante Luis Pato 2010, Portugal — TAP Air Portugal
4 – Castillo de Perelada Brut Reserva, NV, Spain — Iberia Airlines

Obs: houve empate no 2º lugar

 

“TOP FIVE” BRANCOS em BUSINESS CLASS

1 – Dr. Fischer Riesling 2008, Germany — Etihad Airways
2 – Nord Sud Viognier 2009, France — Lufthansa
3 – Anxo Martín Albariño 2009, Spain — Iberia Airlines
4 – Paulo Laureano Alentejo Branco Reserva 2010, Portugal — TAP Air Portugal
5 – Kendall-Jackson Chardonnay Vintner’s Reserve 2008, California — Jet Airways

 

“TOP FIVE” TINTOS em BUSINESS CLASS

1 – Casa de Santar Dão Reserva 2007, Portugal — TAP Air Portugal
2 – Château Monconseil Gazin 2006, France — OpenSkies
3 – Clos de l’Oratoire Châteauneuf-du-Pape 2008, France — OpenSkies
4 – TIE Château Le Bon Pasteur 2004, France — Qatar Airways
Morton Estate Pinot Noir 2007, New Zealand — Qatar Airways
Obs: houve empate no 4º lugar

.

Companhias aéreas participantes:

Air Canada
Air New Zealand
Alitalia
American Airlines
American Airlines – North America
Asiana Airlines
Delta Air Lines
EL AL Israel Airlines
Etihad Airways
Iberia Airlines
Jet Airways
LAN Airlines
Lufthansa
OpenSkies
Qatar Airways
South African Airways
TAM
TAP Air Portugal
US Airways
US Airways – North America
V Australia
Virgin America – North America

.  

Marcelo Copello (mcopello@bacomultimidia.com.br)

.

Tags: Publicado em: Carta de vinho | Concursos | Portugal