Contando carneirinhos

09 outubro 2012 | 24 comentários

Que as crianças de hoje vêm com um chip diferente não é novidade pra ninguém. Elas são mais espertas, mais antenadas e mais argumentativas que as crianças de um passado que está logo ali atrás. Por mais que isso seja muitíssimo claro para mim, numa noite qualquer, quando minha afilhada voltava pela terceira vez à sala da minha comadre para reclamar da falta de sono, mandei na lata, toda doce e prestativa:
- Carneirinhos, Bia!
Roberta sussurrou:
- Não, louca! Carneirinho não vai colar!
- Imagina! Carneirinho sempre cola, carneirinho é ótimo.
- Tá bom. Boa sorte!
- Quê, dinda? – perguntou a boneca.
- Carneirinhos! Conta carneirinhos!
Com a testa enrugada, os olhinhos espremidos e a cara de quem viu um ET albino pendurado no lustre, parecia que ela tinha ouvido a frase mais absurda de seus sete anos de vida.
O espetáculo de dinda aqui ficou extasiada diante da chance de ensinar algo bacana para a afilhada, algo que a faria dormir com mais facilidade, que seria útil para meus queridos Jorge e Roberta (pais da minideusa). Em poucos minutos, eu apresentaria para a Bia o Rivotril infantil, a infalível contagem de carneirinhos.
- Seguinte, boneca: você deita, fecha os olhinhos e começa a imaginar um monte de carneirinhos pulando uma cerca – resumi, dando a conversa por encerrada.
- Que cerca?
É… para a Bia a conversa não estava encerrada.
- Como ‘que cerca’? Cerca da fazenda.
- Que fazenda, dinda?
- Do fazendeiro.
- Qual o nome dele?
- Não sei, Bia! Ele não tem nome!
- O fazendeiro não tem nome? Todo mundo tem nom…
- O fazendeiro não tem! Mas na verdade o nome é o que menos importa! O que importa é que você tem que ir pra cama e contar quantos carneirinhos estão pulando a cerca.
- Pra quê?
- Pra… pra eles não fugirem!
- Por que eles querem fugir?
- Porque… porque carneiro gosta de fugir! – respondi, um tanto exaltada.
- Se os carneirinhos querem fugir da fazenda do fazendeiro sem nome é porque ele não deve ser legal com eles.
- Imagina! O fazendeiro sem nome é ótimo com os carneirinhos!
- Como você sabe?
- Porque eu conheço ele!
- Mas você nem sabe o nome dele!
- O que é que tem? Eu conheço e ponto.
- De onde?
Criança mais perguntadeira!
- Da vida, Bia! Por isso eu sei que ele precisa da lã dos carneirinhos para sobreviver.
- Por quê?
- P-porque ele vende cobertores de lã na feirinha de artesanato que tem todo fim de semana perto da fazenda.
Roberta, sentada na poltrona ao lado, lançou para mim um olhar vitorioso, do tipo “eu não disse que não ia colar? Agora se vira!”.
- Eu não sabia que fazendeiro vendia coisas. Achei que fazendeiros só fazendavam – justificou Bia.
Não entrei no mérito de “fazendar”.
- Uns vendem, outros não. O fazendeiro sem nome vende.
Roberta quase se matava de tanto prender o riso. Palhaça.
- Se ele não vende cobertores ele fica sem dinheiro e se ele fica sem dinheiro ele fica sem comida e se ele fica sem comida ele e a família morrem, Bia. Morrem! De fome. E de frio. Olha que tristeza, meu Deus! – apelei para o coração da criança.
- Onde é a fazenda?
Fala sério, pirralha!
- Sei lá, Bia! Mentira! Sei sim! Polo Norte! Isso! A fazenda é no Polo Norte! Rá! – exclamei, feliz. Pelo menos o frio eu tinha explicado.
- O fazendeiro é amigo do Papai Noel?
Puuutz!
- Claro que não, Bia! E Papai Noel lá tem amigo?
- O Papai Noel não tem amigo? – quis saber, assustada e chorosa. Tadinha. Eu só queria que ela dormisse.
- Calma… O que eu quis dizer é que o Papai Noel é muito atarefado para ter amigos, meu amor. Trabalha muito.
- Mas só no Natal!
- Você que pensa! Ele trabalha muito, muito mesmo.
- O papai trabalha muito e tem um monte de amigos. Você trabalha muito e tem um monte de amigos, a mãe da minha amiga Camila trab…
- Entendi! A mãe da sua amiga Camila trabalha muito e tem um monte de amigos. Mas o Papai Noel trabalha mais do que todo mundo junto.
- Mas por que ele não pode ter amigos?
- Ele pode, mas… mas a gente não tá falando do Papai Noel. Vamos focar, Bia! Foca nos carneirinhos do fazendeiro sem nome, por favor! – exclamei, suando frio.
- É foca ou carneiro, dinda?
- Carneiro! Carneirinho! – respondi, quase chorando. – Agora vai lá, deita, fecha os olhos e imagina um monte de carneirinhos pulando a cerca.
- A cerca é alta ou baixa?
- Não tenho a menor ideia! Isso é a sua imaginação que vai mandar. Combinado?
- Combinado! – concordou, voando para o quarto.
Recomecei a conversa com a Roberta, que se divertia horrores com a minha explicação atabalhoada.
Deu dois minutos e…
- Dinda, nada aconteceu. Contei vinte carneirinhos e nada!
- Mas não é pra acontecer nada, mesmo. Volta lá e conta mais. Muito mais.
Três minutos depois…
- Dinda, pronto, agora chega, contei cinquenta. Cin-quen-ta! – disse, com a entonação entediada de quem tinha contado 50 mil.
- E o seu sono? Não veio?
- Não! Não dá pra dormir contando carneirinhos. É muito chato!
- Pois é! Justamente porque é chato que a gente DORME enquanto conta. A gente não fica voltando pra sala pra dizer para os adultos quantos carneirinhos contou, entendeu? Contar carneirinhos é tão monótono que a criança dorme sem saber quantos carneirinhos ela contou! Era assim que acontecia com a dinda quando ela tinha a sua idade.
- O que é monótono?
- Uma coisa enfadonha, repetitiva, que não muda, que é chata.
- Sei, tipo uma aula que eu tenho na minha escola, é muito monótona.
- Bia! A gente não pode começar uma discussão sobre monotonia. Você precisa dormir, meu amor!
- Deixa comigo – assumiu Roberta, a Mãe. – Já pra cama, Beatriz. Acabou o show!
- Mas… mas…
- Sem ‘mas’, filha! Amanhã tem escola, você tem que acordar cedo. Dá um beijo na dinda e vai dormir.
- Mas…
- PARA A CAMA! JÁ!
E ela foi. E acabou pegando no sono rapidinho. Nada como a voz enérgica de uma boa mãe.
No dia seguinte, Roberta me ligou:
- Acordei sua afilhada, dei o café, fiz a menina escovar os dentes, botar uniforme, penteei o cabelo dela e sabe o que a ingrata me disse? ‘Mãe, acho você tão monótona’…
Ri muito. E deixo aqui meus parabéns para todos os pais de crianças com menos de 10 anos. Jurei que fosse bem mais fácil colocá-las para dormir.

Tags: Publicado em: Comportamento | Histórias
Comentários
  • Nome*:
  • Email*:
  • Site:
  • Comentário*:

  • dududaa

    meeeeu! que demaais esse texto! ri muuito! :D entrou pra lista dos preferidos... ! beijos

  • Eugênia de Almeida Ramos Pedro

    Olha achei o máximo.Criança faz cada pergunta. Olha só o que meu sobrinho neto me perguntou assim que cheguei em joão Monlevade para uma visita:__Tia Eugênia, você é uma pessoa? e o que o Gabriel perguntou para a sua mãe: __Mãe, a tia Eugênia respira? É isso aí . Bom mesmo é aproveitar cada minuto com os nossos anjinhos. Não é meswmo?

  • Roberta

    Amei.... Cara criança é muito bom! Ainda mais quando são ligadas assim!

  • Giselle

    A-DO-REI! Tenho 5 primos pequenos e é dificil conter os "por quês" KKK

  • Juliana Guedes

    Nossa esse texto está ótima, morri de rir. As crianças cada vez mais espertas ^^

  • Ana Lucia Carvalho

    Sensacional!!!!!!Adorei!!!!! Rolei de rir com o com o Rivotril infantil. Tá pensando que é facil dobrar essa turminha de agora. São mais espertos q todos nós adultos juntos. Bjs

  • Nancy Bertolini

    Oi, Thalita, tudo bem? Deixei uma mensagem para você em seu Facebook. É muito importante! Espero que vc possa ler. Obrigada!

  • Roza maria marques

    Bom dia!parabéns,venho pedir sua ajuda,gostaria de entrar em contato com Ana Hickmamm,criei alguns pares de botas e um modelo de óculos e gostaria de vender ou uma parceria com ela.muito obrigada.

  • gabrielly

    aaaai eu amoo a thalita rebouças tenho dois livros dela:Ela Disse,Ele Disse e Fala Sério,Filha! São maravilhosos sou completamente viciada nos livros dela

  • Ariana Souto

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk CHOREIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!

  • Jéssica Raiane

    Esse post está maravilhoso!!! me acabei de rir, sério! kkkkkkkkkkkkkk contar carneirinho é o Rivotril infantil, foi foda kkkkkkkkkkkkkkkkk só você mesmo pra nos fazer rir com suas coisas =) sua afilhada é muito fofaaaaaaaaa, nessa parte então derreti: "Achei que fazendeiros só fazendavam" *-* own. beijão s2

  • Marcella

    Ahhhh que lindo! Choreeei de rir! haha Tem que ter muita paciência com essas crianças mesmo...Elas saem com cada uma! Mas são lindas, né? Adoro ♥ Bjss

  • Luana

    Showwww

  • Barbara

    Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiitooooooo bom dei muita risada.

  • Bianca Silva

    Aaaaaa, Thá, sempre se superando, não lembro de já ter rido tanto na frente do computador. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk' Muito fofa a Bia *-* E você muito criativa viu? Não só na hora de escrever mas no dialogo. Que coisa! Sempre diva. haha!

  • Ana Carolina

    Ameeeeeeeeeeeeei! Dei muita risada! kkkk Seus textos com certeza animam o dia da gente! =) Beijão e sucessooooo <3

  • marcia

    Amei. Muito divertido, adorava contar carneirinhos, na realidade conto até hoje! Muito esperta sua afilhada!! Beijos

  • THAINAN

    Nossa Tha, essas crianças de hoje são muito espertas e perguntadeiras! rsrs tenho um sobrinho de 3 aninhos, que pelo visto é parecidíssimo com a Bia! rsrs o q você queria não teve sucesso, mas a menina aprendeu e colocou uma nova palavra no seu dicionario!

  • Júllia Lima

    hahahahahahha, que prodígio! Crianças... morro de rir com elas. Tô aqui imaginando quando o MEU afilhado nascer,rs que piada!

  • Jéssica Soares

    Morrendo de rir com sua afilhada! Hahahahahahahahaha, ela é muito fofa. Amei o post! Beijão.

  • Monica Trugano

    Hahaha muito bom! Eu conto carneirinhos até hj, as vezes... rs

  • Delduque Avelino

    Hahahaha... que menina é essa. E realmente todas as crianças de hoje em dia são assim, tempos modernos.

  • Mari Oliveira

    Uma divinura a Bia haha, ela me lembrou a menininha de uma novela antiga* do sbt 'Carinha de anjo', hahahaha, fiquei imaginando a cena e não teria conseguido segurar o riso haha. Fofa demais. Beijo, bonita!

  • Paulinha

    Que delícia esse post Thá *-* Muitooo bom! Nunca consegui dormir contando carneirinho também :/