O paraíso dos barcos

Os barcos dão vida às águas da Região dos Lagos, enfeitando a orla, canais, lagoas e rios. São imagens irresistíveis para os fotógrafos profissionais ou amadores. No Bairro da Passagem, Cabo Frio, botes, barquinhos e canoas ocupam o pequeno cais na margem direita do Canal do Itajuru. São peças coloridas que transformam a orla da […]

Os barcos dão vida às águas da Região dos Lagos, enfeitando a orla, canais, lagoas e rios. São imagens irresistíveis para os fotógrafos profissionais ou amadores.

No Bairro da Passagem, Cabo Frio, botes, barquinhos e canoas ocupam o pequeno cais na margem direita do Canal do Itajuru.

São peças coloridas que transformam a orla da Passagem numa pintura.

Centenas de pequenas embarcações que todos os dias navegam em busca do pescado são deixadas sobre a areia ou nas águas do canal.

Enquanto isso, do outro lado do canal, a marina de lanchas de luxo divide espaço com pequenos estaleiros, enquanto os pesqueiros partem para alto mar.

Na Praia do Canto, no centro de Búzios, os barcos descansam da jornada dura ou recebem o trato da manutenção.

No canto esquerdo da Praia do Forte, em Cabo Frio, as pequenas embarcações ancoram com o pescado do dia, enquanto os grandes pesqueiros entram pelo Canal do Itajuru com sua carga.

No bairro do Portinho, Cabo Frio, barcos de pesca e de turismo se espalham pelas margens do canal.

Na Orla Bardot, Búzios, ao cair da tarde, centenas de embarcações atracam ao fim da jornada.

Ao largo, os transatlânticos recheados de turistas iluminam as ondas num contraste com a silhueta dos pequenos barcos de madeira.

Na Praia dos Anjos, Arraial do Cabo, a canoa com área coberta revela a criatividade dos pescadores locais.

Em Cabo Frio, o atracadouro reúne barcos de pesca de variados tamanhos, que dividem espaço com escunas e saveiros de passeio.

Na Praia da Armação, Búzios, o colorido de centenas de pesqueiros, barquinhos e canoas.

Do alto do Morro de Sant’Anna, uma vista da Praia dos Ossos, Búzios, com seus veleiros, lanchas e os tradicionais pesqueiros.

Na Gamboa, Cabo Frio, o velho pesqueiro enferrujado ainda está na ativa.

Ele disputa espaço para suas redes com as ágeis baleeiras e barcos rústicos de madeira.

Na Prainha, Arraial do Cabo, barcos tomam conta de boa parte da areia.

A buziana Praia do Canto vira um estacionamento, quando a noite cai.

O melhor pôr-do-sol de Búzios é no Porto da Barra, onde a silhueta dos barcos compõe um visual poético.

No Canal do Itajuru, que liga a Lagoa de Araruama ao Atlântico, baleeiras, escunas e canoas.

Barcos de passeio, de trabalho e de aluguel estão espalhados nas margens do Canal.

Graças a uma luz generosa, mesmo quando o céu enfarruscado não ajuda, a paisagem parece uma pintura.

Na Praia da Azeda, Búzios, as escunas param ao largo para que os turistas mergulhem nas águas calmas e frias da baía.

As margens do rio São João, em Barra de São João, ainda recebem barcos de pesca, cada vez mais raros.

Na Praia da Tartaruga, Búzios, caiaques, pranchas de stand up, canoas havaianas e veleiros de competição dividem as marolas.

Até na pequena praia João Fernandinho, em Búzios, se encontram barcos de pesca, provando a vocação pesqueira da região, numa concorrência feroz com o turismo crescente.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s