5 dicas do poker que podem mudar sua vida

08 setembro 2011 | deixe seu comentário (0)

 

Há quem deteste baralho, há também quem não dispense um carteado com os amigos no fim de semana, e há ainda aqueles que mudaram suas vidas apostando todas as fichas no poker. Economista pela UFRJ e formado também em Jornalismo pela Uerj, Carlos Mavca era dono de uma rede de lanchonetes em Niterói, no Rio, quando começou a se interessar pelas teorias do poker, em 2006. Largou tudo e fez do jogo sua profissão. Hoje é bicampeão niteroiense e campeão estadual do Rio de Janeiro, além de ter estreado em torneios internacionais em 2010, jogando o World Series of Poker (WSOP), em Las Vegas. Após cinco anos estudando a psicologia do jogo, ele lança o livro Poker – A Essência do Texas Hold’em, em que defende que as mesmas estratégias de um bom jogador de poker podem fazer diferença na vida de qualquer profissional de outra área. “O poker é um microcosmo da nossa vida. Um bom jogador desenvolve habilidades que vão fazê-lo se dar bem em qualquer emprego”, afirma.  Na Bienal, pedimos a ele que apontasse para VEJA RIO os cinco mandamentos do poker que vão ajudar você a ter mais qualidade de vida. Ninguém vai ficar milionário da noite pro dia, mas já é um grande começo, não?

1 – PACIÊNCIA
O poker ajuda a desenvolver uma das virtudes que mais fazem falta na vida moderna. Segundo Mavca, uma pessoa que se dedique a dominar o poker, mesmo por lazer, necessariamente acabará desenvolvendo a capacidade de ter mais paciência com a vida e tudo a sua volta. “Um bom jogador tem consciência de que levamos minutos para aprender, e uma vida inteira para dominar o poker”, observa ele. Quem joga aprende a esperar o momento certo de se arriscar com segurança.

2 – TRANQUILIDADE
“Uma pessoa estressada jamais será um bom jogador”, diz Mavca, categórico.  Para ele, a calma é fundamental para quem pretende dominar o poker porque só uma pessoa tranquila é capaz de lidar com as situações de tensão que se instalam durante o jogo. “As decisões precisam ser tomadas com frieza e o raciocínio precisa ser muito rápido. Uma mente dispersa, com outras preocupações, não consegue ter essa destreza”. Uma vez adquirida, a tranquilidade passa a fazer parte da vida do indivíduo.

3 – FOCO
A concentração exigida pelo jogo opera, segundo Mavca, uma mudança radical no foco de quem pratica o poker. “A matemática do jogo requer concentração total. Estar atento à mesa é essencial, e quando desenvolvemos a capacidade de focar naquilo, ganhamos uma habilidade aplicável à qualquer esfera da vida”, enfatiza ele, que afirma ter se concentrado mais até no trânsito. “Nada, buzina alguma, nem motorista irado xingando, serão capazes de te abalar”, garante.

4 – OBSERVAÇÃO
A necessidade de estar atento ao que se passa na mesa aguça o poder de observação do bom jogador. “Com a prática, você percebe que o jogador que está com você na mesa, sem saber, te passa muita informação pela maneira como joga as fichas ou segura as cartas, por exemplo”, afirma Carlos Mavca.  O apuro visual e a facilidade em perceber detalhes também são ganhos para a vida fora do jogo. “Você fica mais sensível a sinais, às pequenas coisas”, explica.

5 – DISCIPLINA
Para Mavca, é preciso saber fugir da tentação de arriscar quando o jogo não está garantido. “Por mais que as suas chances sejam de 98% de levar a mesa, existem os outros 2%. A chance do outro cara tá ali, ela existe, e é preciso ter disciplina para não se afobar e só apostar com segurança”, frisa.

Gostou? Neste sábado (10), às 16h, Carlos Mavca estará novamente na Bienal para uma apresentação sobre o poker, ao lado do parceiro Maurício Bastter. Confere lá!

Aprendendo Poker, sábado, 10 de setembro, às 16h
Estande da Campus/Elsevier, pavilhão azul
Com Carlos Mavca e Maurício Bastter, autor e coordenador do livro Poker – A Essência do Texas Hold’em.

Tags: Publicado em: Bienal | Uncategorized
Comentários
  • Nome*:
  • Email*:
  • Site:
  • Comentário*: