Rio registra aumento de 400% no atendimento de esporotricose

No ano passado foram registrados 13 536 atendimentos, 10 283 a mais que em 2015

Provocada por um tipo de fungo e transmitida pelos felinos aos humanos e cachorros, a esporotricose atingiu 400% mais animais em 2016 do que no ano anterior, de acordo com a Vigilância Sanitária. No ano passado foram registrados 13 536 atendimentos, 10 283 a mais que em 2015. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde (SMS), 580 pessoas foram diagnosticadas com a doença em 2016, contra 516 paciente em 2015 e 327 casos em 2014.

Nos seres humanos a doença tem cura, mas pode causar lesões na pele. Os sintomas são machucados que não cicatrizam, tanto nos bichos quanto nos humanos, e inchaço no focinho. A prevenção se dá com a castração, que acalma os fujões. Se o animal já estiver doente, procure tratamento urgente, pois a doença pode levá-lo à morte.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s