• Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Resenha por Pedro Moraes

Projeto que há doze anos aproxima, em encontros memoráveis, a música popular e a sonoridade sinfônica, a série ganha edição em homenagem aos 450 anos do Rio. A costura do roteiro eclético, um passeio pela história da cidade através da música, leva ao Theatro Municipal, no sábado (13), um time de primeira linha. Foram convocados o pianista Wagner Tiso, o cantor e violonista Jards Macalé, o cantor Moyseis Marques, os percussionistas Robertinho Silva e Marcos Suzano, o maestro Carlos Prazeres, à frente da Orquestra Petrobras Sinfônica, e um sexteto de tarimbados instrumentistas. Tiso, orquestra e o conjunto abrem os trabalhos lembrando Tom Jobim no pot-pourri que enfileira Samba do Avião, Garota de Ipanema e Samba de Uma Nota Só. Adiante, o programa visita o clássico samba-enredo Os Cinco Bailes da História do Rio (Silas de Oliveira, Dona Ivone Lara e Mano Décio da Viola) e Expresso 2222 (Gilberto Gil), ambos na voz de Moyseis Marques. Também com banda e orquestra, Macalé defende as suas Rei de Janeiro (com Glauber Rocha) e Rio sem Tom, antes de interpretar, apenas com voz e violão, Desafinado (Tom Jobim e Newton Mendonça). Depois do momento intimista, todos rumam para o clímax, ao som de Mora na Filosofia (Monsueto e Arnaldo Passos), E Daí? (Miguel Gustavo), Acertei no Milhar (Wilson Baptista e Geraldo Pereira) e Mambo da Cantareira (Barbosa da Silva e Eloide Warton).

Ficha técnica

Recomendação: Livre

Publicidade

Publicidade