Eu, Daniel Blake

Tipos de Gêneros dramáticos: Drama
Veja Rio
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Miguel Barbieri Jr.

danielblake

(Divulgação)

Em uma competição com Julieta, Sieranevada, Elle, É Apenas o Fim do Mundo e Aquarius, foi Eu, Daniel Blake quem ficou com a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Um prêmio merecido para o veterano diretor inglês Ken Loach, que, aos 80 anos, volta-se contra o sistema e a burocracia de seu país. Político e politizado, o realizador, incisivo, mostra as garras afiadas para narrar, com tintas dramáticas e tragicômicas, a trajetória do viúvo Daniel Blake (Dave Johns). Após sofrer um infarto, esse sexagenário fica proibido pelos médicos de voltar ao trabalho. Precisa, então, requerer os benefícios do governo, mas, para isso, vai ter de encarar uma espiral de exigências e pedidos exaustivos. O lado humanitário de Blake desponta na ajuda (até financeira) a uma mãe solteira (Hayley Squires). Impossível ficar indiferente ao angustiante drama do protagonista e não se identificar com as situações insólitas pelas quais ele passa.

    info
  • Direção: Ken Loach
  • Duração: 100 minutos
  • Recomendação: 12 anos
  • País: Inglaterra/França/Bélgica
  • Ano: 2016
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s